Apresentações dos projetos Alunos Artistas - semana de 20 a 27 de Agosto

21 de Agosto

O Projeto Meio a Meio apresentou  um show performance multimidiática no Ciclo Básico 2: "e enquanto nós entramos pelo cano os humanos entregam a poesia na geléia geral da nossa história sousândrade kilkerry oswald vaiados estão comendo as pedras da vitória quem não se comunica dá a dica: tó pra vocês chupins desmemoriados só o incomunicável comunica".  

 

22 de agosto

O Projeto "O Grande Duelo" (Grupo Criados Mudos) promoveu a oficina Jogos do Silêncio , no Paviartes/Instituto de Artes, com a participação livre a alunos da universidade e à comunidade.  

 

23 de agosto de 2018

A roda de conversa "Mulheres e Ocupações Artísticas no Espaço" ,promovida pelo projeto Morganas teve como propósito proporcionar um momento de compartilhamento de experiências, discussões, reflexões e visões sobre a ocupação, transformação, os atritos e dificuldades existentes no fazer artístico de mulheres perante os espaços e seus contextos. Participaram da roda artistas convidadas que exploram, por diversas linguagens, a relação com o espaço que habitam, olhares que buscam alcançar, atravessar, explorar e questionar estes espaços. Elas trabalham com questões do fazer artístico em relação corpo-mundo, e compartilharão relatos, opiniões e vivências diversas, para compor a roda. 

 

 

Imprimir Email

Aluno-Artista, 8ª Edição: Semana de 13 a 17 de Agosto

13 de agosto de 2018

No fim da Estrada: apresentação do projeto

Evento do Projeto "No fim de Estrada" onde foram apresentados o roteiro do filme, a equipe de produção e os passos a serem seguidos pela equipe para a produção do curta-metragem. Este projeto realizará um curta-metragem de aproximadamente 15 minutos sob o título 'No fim-da-estrada'. Um filme sobre a solidão do homem da roça, introspecto nos anseios de preencher seus vazios existenciais a partir de narrativas fantásticas perpassadas oralmente na forma de lendas. O protagonista, um velho senhor morando sozinho numa casa no fim de uma estrada, defronta-se com a realidade, seus problemas de relacionamento com a família, ao receber uma inesperada visita. Sua filha traz consigo o neto que ele pouco conhece, além de um cachorro que, não-quisto pela família da cidade, é trazido à posse do avô apenas para não fazer sofrer ao menino. É uma história de contemplação e silêncio; mais que isso, é uma busca de razões para coisas sem sentido - uma poltrona que descansa um corpo inerte, uma estrada que leva a lugar nenhum, o boitatá. São os habitantes das bandas do fim-da-estrada, perdidos no anacronismo de sua sorte, buscando a empatia do novo, escondidos no seio do vale e suas serras.


( Local : Sala AP06, Instituto de Artes)

14 de agosto de 2018

MIRA : ensaio aberto

Ensaio aberto do Projeto Mira na Biblioteca Central. "A concepção deste trabalho provém da reunião dos alunos da graduação em Dança da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) do ano de 2015 com a artista Patrícia Noronha, integrante do corpo docente do Departamento de Artes Corporais (DACO), durante as disciplinas Ateliê de Criação V e VI em 2017, que culminou na montagem cênica “Encontrar- se em”. Durante um ano, o grupo partiu da pesquisa relacionada ao conceito da física de que “dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo” e de trechos da música “Encontro”, de Luiz Tatit."


(Biblioteca Central “Cesar Lattes”)

14 de agosto de 2018

Sala Muda no Unidança

Apresentação do Projeto Sala Muda, na programação do Unidança. "A ideia de um diálogo entre música e dança. Ao longo do projeto, visa-se perpetuar os processos artísticos desenvolvidos na série Estudos Singulares."


(Paviartes, Instituto de Artes)

14 a 16 de agosto de 2018

Marias dos Retalhos : Exposição Fotográfica

"O projeto tem como objetivo o desenvolvimento de um doc de curta duração sobre a oficina de costura Maria Retalho, que está localizada em uma ONG executora de medidas socioeducativas na cidade de Campinas. A oficina é composta por mulheres que exerceram ou exercem a maternidade de adolescentes. Algumas passaram pela ONG acompanhando os adolescentes no cumprimento socioeducativo, outras na aprendizagem profissional. Independentemente da passagem do filho pela instituição, as mulheres do Maria Retalho escolheram continuar ou voltar para o espaço e ali construíram e constroem com retalhos, linhas e agulhas uma renda extra e um ambiente de conselhos e risadas no qual o cuidado vigora. É a partir do olhar para a relação dessas mulheres que o projeto artístico explora temas que perpassam o exercício da maternidade na periferia.


(Biblioteca Central Cesar Lattes)

14 e 15 de agosto de 2018

Projeto Centella : Oficina de crochê

Oficina promovida pelo projeto centella com participação de Gaby Ciurcio. "O grupo centella propõe o debate sobre as relações entre memória e indivíduo através de diversas materialidades e frentes das artes visuais. Cada um dos artistas do grupo aborda um aspecto diferente da memória: o esquecimento, as repetições cotidianas, os vestígios, lembranças, o embaralhamento e o tempo. Quanto aos aspectos formais, as obras transitam entre o campo tridimensional, o fotográfico, o da gravura, o da escrita e o das plataformas digitais. O nome, centella, vem de uma planta utilizada na medicina alternativa que desperta a memória. A partir desta aproximação simbólica, o coletivo articula propostas com um viés intimista e autobiográfico."


(Instituto de Artes)

17 de agosto de 2018

Cerimônia de Lançamento da 8ª Edição do Programa Aluno Artista

A cerimônia aconteceu na sala do Conselho Universitário estando presentes alunos artistas, o reitor Prof. Marcelo Knobel, a pró-reitora de graduação Profª Eliana Amaral, a coordenadora do SAE , Profª Helena Altmann, a Assessora Cultural do SAE, Profª Maria Cláudia Guimarães, representantes da comunidade, funcionários e docentes. O evento contou com uma performance do grupo Morganas e apresentações musicais dos projetos Dois na Praça e Elas Elis.


(Reitoria)

Imprimir Email

Apresentações dos projetos Alunos Artistas - semana de 15 de Julho a 9 de Agosto

Sala Muda : abertura da 13ª ANPED

O grupo desenvolve performances e laboratórios artísticos que possibilitam a construção, aperfeiçoamento e demonstração da musicalidade conquistada pelo conjunto, a partir de princípios com bases na hip hop dance, dança contemporânea e linguagens musicais africanas, jazz, entre outros. A Musicalidade para o músico e o bailarino que improvisa tem complexidades sensitivas e íntimas de cada integrante, e assim, proporciona um encontro que concebe de maneira próxima a forma de interpretação do artista que se expressa, colocando em linearidade a vivência e o acúmulo de experiências de todo grupo. Características de identificação, efeitos sonoros, experiências eruditas, populares, rítmicas e a diversificação de linguagens corporais, influenciam na negociação para a conquista da musicalidade do conjunto. Com isso, o grupo tenta chegar a uma solução músico-corporal que refina o entendimento de cada um e potencialize a capacidade e os valores dos integrantes, podendo aprimorar a relação entre música e dança.

(Centro de Convenções)

 

Derivas Atravessadas #1

É parte do processo criativo do Projeto Resistências, contemplado pela 8ª Edição do Programa Aluno-Artista SAE Unicamp.
“Partindo do Marco Zero vamos andar pela Unicamp em composição, percebendo e vivenciando o espaço de uma maneira não-cotidana e não-utilitária. Nessa andança/deriva nos propomos a descobrir e redescobrir esse espaço e os atravessamentos afetivos gerados nos nossos corpos.” O Coletivo Atravessadas é formado por Ana Mi, Maria Reisewitz, Taiana Ferraz e Victor Isidro, do curso de Dança da Unicamp.

(Praça do Ciclo Básico)

 

Morganas: ensaio aberto

Morganas surge de uma força proveniente da união entre mulheres artistas a fim de colocarem-se no espaço que dia-a-dia habitam. Partindo de um questionamento sobre a identidade feminina, o grupo e trabalho Morganas busca traçar caminhos de ocupação de espaços através da linguagem da performance. Explorando a corporalidade do vestir, seus corpos vão sendo ressignificados por texturas, estados e qualidades. Dança-se em busca da essência dos espaços e de si mesmas, para assim refletir e gerar reflexão sobre o auto-olhar e o corpo feminino no ambiente.

(Ciclo Básico I)

 

Projeto Meu Corpo no Mundo - Roda de conversa: “Eu, meu corpo e a universidade pública"

`Meu corpo no mundo` busca desenvolver uma série de intervenções performáticas pensadas para os espaços públicos do campus através de uma pesquisa sobre a ocupação de um corpo feminino negro no espaço e suas leituras performativas na esfera pública. Para realizar o projeto estudaremos o livro `Performance na esfera Pública` de organização científica de Ana Paes, que nos dará apoio teórico para a produção artística. Assim como a realização de uma investigação corporal que tem como referência poética as canções do álbum `Um corpo no mundo` de Luedji Luna, os poemas de Conceição Evaristo e as fotografias de Zanele Muholi. Todas têm em seus trabalhos a preocupação com a leitura social sobre seus corpos de mulheres negras e os espaços que alcançam. A partir desses estudos o grupo pretende participar, construir e recriar o espaço da universidade, mapeando durante o processo os ambientes de resistência e ausência no campus, propondo-se a instigar um trabalho visual e colaborativo com os grupos de resistência levantados, que será exposto com a finalização do projeto.

(Ciclo Básico 2 (PB) )

 

Projeto Resistências: Abertura de Processo

"`Resistências` é um projeto de dança que trata da força que surge da necessidade de existir, que se revela no encontro com a cidade, constantemente tensionando a lógica do contexto urbano. A partir desses enfrentamentos cotidianos, o Coletivo Atravessadas desenvolve um material corporal inspirado na poética da natureza versus cidade. O trabalho improvisacional do grupo é permeado por experiências somáticas, práticas de contato improvisação e fluxo dos sentidos (conceito apreendido no Método BPI de Graziela Rodrigues), que estimulam corporalidades de resistências variadas."

(Teatro de Arena)

 

Lapidação, ou quando gritam as pedras

Este projeto tem por propósito apresentar a composição coreográfica “Lapidação - ou quando gritam as pedras”. Esta composição é o resultado de investigações realizadas em duas pesquisas de iniciação científica em dança fomentadas pelo Programa de Iniciação Científica da Unicamp. Em ambas as pesquisas, o processo criativo teve por tema a personagem central da música “Geni e o Zepelim”, presente na peça teatral “Ópera do Malandro” (1978) escrita por Chico Buarque em diálogo com cenário LGBTfóbico na atualidade. Por meio de improvisações estruturadas norteadas por elementos presentes nas criações da bailarina e coreógrafa alemã Pina Bausch, como o método das perguntas e de colagem da coreógrafa, foi-se criando cenas utilizando-se os materiais recolhidos (poesias, textos, reportagens, discursos em áudio) e incorporados na linguagem da dança de maneira a estabelecer uma relação com o público, tornando-o coautor da cena.

(Paviartes (IA) )

 

Dois na Praça : ensaio aberto

"O projeto “Dois na Praça – Música Instrumental para todos” resulta de pesquisa da Música Instrumental Brasileira Contemporânea realizada pelos proponentes. Nesse cenário musical destacam-se compositores como Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, Guinga, Hamilton de Holanda, César Camargo Mariano, Toninho Horta, entre outros, pela relevância artística como compositores e intérpretes memoráveis que ainda fazem história. Do encontro do duo instrumental com esses artistas - que possuem como característica uma estética composicional popular, moderna e genuinamente brasileira, atrelada ao universo da improvisação - surge a vontade de compartilhar com jovens universitários as composições e arranjos adaptados para essa formação: o violão de Pedro Matsuda e o baixo elétrico de Léo Cappi.

(Saguão da Biblioteca Central)

 

Imprimir Email

Alunos-Artistas da 8ª Edição são apresentados em Cerimônia no CONSU

O Serviço de Apoio ao Estudante (SAE), órgão ligado à Pró-Reitoria de Graduação (PRG) da Unicamp, anunciou, na tarde da sexta-feira (17), os 15 projetos contemplados na oitava edição do Programa Aluno-Artista. Durante a cerimônia, realizada na Sala do Conselho Universitário (Consu), foram apresentados às autoridades e ao público presente, os novos alunos-artistas que foram contemplados em 2018 nas seis modalidades do Programa: Artes Cênicas, Artes Corporais, Artes Visuais e Multimeios, Música, Artes Integradas e Literatura. A Assessoria Cultural do SAE organizou uma mostra, em forma de vídeo, dos 15 projetos da 7ª Edição, finalizados em dezembro de 2017. Também trouxe apresentações de três Projetos da 8ª Edição: Grupo de Dança “Morganas”, Musical “Dois na Praça”, finalizando com o projeto musical feminino “Elas Elis”, que fechou o evento com chave de ouro, cantando "O Bêbado e a Equilibrista". Como os presentes pediram BIS Elas Elis deram uma canja com "Travessia", sendo ovacionadas. 

A solenidade contou com a presença do Reitor da Unicamp, Prof. Dr. Marcelo Knobel; Pró-Reitora Profª Drª Eliana Martorano Amaral (Graduação); Profª Drª Teresa Atvars (Coordenadora da Universidade), Profª Drª Helena Altmann (Coordenadora do SAE) e Profª Drª Maria Claudia Alves Guimarães (Assessora Cultural do SAE). Também estiveram presentes alunos, funcionários e docentes da Universidade, além de convidados, entre eles o Gerente do SESC, Sr. Hideki Milton Yoshimoto, acompanhado da Sra. Flávia Marques, Coordenadora de Programação.

Imprimir Email

Downloadhttp://bigtheme.net/joomla Joomla Templates